sábado, 23 de maio de 2009

Chuvinha danada


Chuvinha danada




Chove chuva chove.
Chuvinha bem fininha.
Chove chuva chove.
Pé d’água das gotas grossas.

Quando eu era pequena
Minha mãe torcia
Por um dia de chuva,
Pra que eu parasse em casa
E enfim sossegar.

Eram, então, nesses momentos
De fingidos sossegos
Que meus pensamentos
Saiam para brincar.

Chove chuva chove.
Mamãe está a me chamar.
Chove chuva chove.
Minha imaginação não é de açúcar.


Adriana Kairos

6 comentários:

Bruno R.Ramos disse...

Lúdico e reflexivo. Claro que às voltas com a teórica apropriação das aliterações usadas fortemente pelo seu efeito musical e sonoridades versadas por outros poetas, o melhor foi aqui ver refletida o processo de produção poética na circunstância em que a chuva de antagonista dos planos infantis passa a ser protagnista de um novo evento, aqui, a criação.
Sucesso poetisa.

Selma Araújo disse...

Que chuvinha mais linda!!
Também estou com saudades...

Beijos!

Nilson Barcelli disse...

Adriana querida, vc me fez regeressar à infância.
O poema é lindo minha amiga.
Um bom Domingo para vc. Retribuo a florzinha que me mandou.
Beijo.

Rafaela Dutra disse...

[...] Oh! Deus, perdoe esse pobre coitado, que de joelhos rezou um bocado, pedindo pra chuva cair, cair sem parar.
Oh! Deus será que o senhor se zangou, e é só por isso que o sol se arretirou, fazendo cair toda chuva que há .
Oh! Senhor, pedi pro sol se esconder um pouquinho, pedi pra chover, mas chover de mansinho, pra ver se nascia uma planta, uma planta no chão.


Adriii querida!
Amo essa música na voz do meu amado Falcão do Rappa... É linda, chama-se "Súplica Cearense" originariamente de Luis Gonzaga, rei de nosso baião! Achei que tem td a a ver esse trechinho dela aqui com que escreveu amiga... E por isso resolvi postarpra vc! Escute ela toda... Tenho ctz que vai amar... Assim como eu amo!
E qto ao texto?! O que falar de algo que sempre está belo? Apenas que continua belo... hahaha! Belo e altamente expressivo!
bjão amiga!

Camilla Ribeiro. disse...

Adri, parabéns pela composição! A chuva inspira muito, não é mesmo? Mas, a poesia, que você diz ter caráter infantil, é a melhor e mais harmoniosa com a felicidade. Afinal, não há nada melhor nesse mundo que a infância! Muito brigadeiro, brincadeiras inúmeras... Saudades da infância. E se sua chuva chovesse na casa muito engraçada do meu tio Vinicius de Moraes? Vish! Que seria perfeito demais! Jogar bola na chuva e correr pro abraço na hora do GoOoLL, cheio de lama, cheio de alegria! Chuva é muitas coisas. Harmonia da naturaza que é pura perfeição. Diga para as crianças daí não perderem a infância. E ensino para as daqui como faz um castelo na areia, tá? Muitos beijos e abraços.

André Silva disse...

Texto gostoso de ser lido e ao mesmo tempo reflexivo, pois mesma pretensamente quietos, podemos sempre viajar!
Parabéns!
Beijos.
André Silva
www.andrerio.net

"Às vezes, tenho a impressão de que escrevo por simples curiosidade intensa. É que ao escrever, eu me dou as mais inesperadas surpresas. É na hora de escrever que muitas vezes fico consciente de coisas, das quais, sendo inconscientes, eu antes não sabia que sabia."

Clarice Lispector